Categorias
colecoes

BebeLume

Desenvolve conteúdos para crianças de 0 a 5 anos que as possibilite ter uma experiência que nutra sua inteligência emotiva, corporal e semântica.

BebeLume é uma criação surgida da parceria entre Clarice Cardell e Leonardo Hernandes que tiveram seu primeiro encontro no grupo teatral “Esquadrão da Vida” dirigido por Ary Para-raios onde protagonizaram o famoso casal Shakespeareano em “Na Rua Com Romeu e Julieta” por cerca de 3 anos no início dos anos 90.

Passados quase 20 anos, se reencontraram na vontade de desenvolver conteúdos audiovisuais para a primeira infância capaz de oferecer uma alternativa poética dentro do espectro da produção vigente, principalmente no ambiente da internet, propiciando uma aproximação diferente da arte audiovisual e da primeira infância.

Surge, assim, a ideia de criar o Canal BebeLume para oferecer aos bebês e crianças e seu entorno adulto uma experiência estética diferenciada, onde a infância é tratada com respeito e sensibilidade, contemplando toda a potencialidade poética com a qual nasce o ser humano.

Por que criar audiovisual para a primeira infância?

Nossa equipe entende que o lugar de criança é no brincar, no afeto e na participação em atividades vivas, onde as crianças tenham espaço para ser sujeitos competentes e sensíveis. Entretanto, sabemos que hoje em dia é praticamente impossível de manter as crianças blindadas da realidade audiovisual de celulares, tablets ou televisores.

Sendo assim, propomos a criação de um conteúdo audiovisual diferenciado, que tenha sempre o acompanhamento e mediação dos pais e que seja oferecido de forma parcimoniosa. Obras que ofereçam um momento de compartilhamento e ajam como objeto transacional entre a relação dos adultos e crianças.

Criações audiovisuais de qualidade que proporcionem um encontro especial da infância com a arte.

Protegidos da Publicidade Infantil Abusiva
É muito frequente em diferentes plataformas de obras audiovisuais infantis, a publicidade infantil disfarçada, incentivando o consumismo na infância. Nossa plataforma tem o compromisso de entender a criança como sujeito competente e sensível e não como um consumidor de entretenimento. 

Não a violência
Nosso canal entende o perigo do impacto de videogames e produções audiovisuais violentas na infância, que gera comportamento agressivos e diminuição da empatia e da interação social.

Estabelecendo limites
É importante estabelecer regras e limites no contato audiovisual na infância. O limite do tempo é uma delas. Cabe ao pai dosar com o bom senso. A orientação da AAP (American Academy of Pediatrics) é de que o limite diário seja de 1 hora. O resto do tempo é sentar e brincar…

Conheça mais o BebeLume
através de suas criações.

Série Inspira Fundo – 1ª Temporada

A primeira série de 12 vídeos é a Inspira Fundo (Brasília-DF, 2018), que foi patrocinada pelo Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal. Passeando por diferentes temas como o nascimento, o quadrado e redondo, o sim e o não entre outros, os vídeos utilizam a manipulação de objetos e a trilha sonora original criada por Lupa Marques e Jota, para construir uma narrativa poética criando um mundo de significados imagéticos. A dramaturgia, construídas pelos objetos, sons e interpretações de Clarice e Gabriel Guirá, estão estruturadas a partir dos temas, mas mantém a liberdade para a livre da imaginação dos bebês.

Os vídeos são gravados inteiramente em estúdio, com um fundo preto, onde dois atores (um homem e uma mulher) realizam a manipulação e animação de objetos. O protagonismo dos objetos e sua manipulação privilegiam o aspecto lúdico e formal dos objetos “matriz”, ou seja, objetos com formas claras, limpas, com cores básicas, facilmente reconhecíveis, onde há espaço para o espectador construir a leitura poética e multi- semântica das dinâmicas audiovisuais apresentadas, fazendo uma viagem pelos sentidos visuais, sensoriais, arquetípicos e mitológicos dos símbolos abordados em cada episódio.  Os vídeos levam, através de uma conjunção de construção de imagens de objetos manipulados, coordenados com a trilha sonora, a um exercício visual e rítmico, orquestrados por uma trilha sonora original, composta paralelamente ao processo de elaboração dos vídeos.  Para tal, elementos rítmicos extraídos da sonoridade dos próprios objetos, captados no set de filmagem são conjugados com a trilha sonora criada posteriormente em pós-produção em estúdio, utilizando uma sonoridade diegética.

Ficha Técnica

Roteiro e Direção: Clarice Cardell
Direção de Fotografia e Montagem: Marcelo Barbosa
Trilha Original: Lupa Marque e Jota Dale
Manipulação de Objetos e Interpretação: Clarice Cardell e Gabriel Guirá

Direção de Arte: Sarah Noda
Iluminação: Carlos Laredo
Produção Executiva: Leonardo Hernandes
Assistência de Produção: Tatiana Restrepo,Rodrigo Hudson, Jonatan Silva, Herbert Lins.

A Série MAKURU – Canções de Berço

Makuru: canções de berço, é a segunda serie do Canal Bebelume, onde 10 vídeos poético-musicais  mesclam live-action (não-ficção) e animação, em construção imagética de canções de ninar de todas as regiões do Brasil. Um personagem-bebê transita por todos os episódios, buscando e apreciando os vários tipos de vivência na primeira infância, em diálogo com as memórias infantis dos adultos que convivem com as crianças. Com a colaboração da pesquisadora Lucilene Silva, a série aproxima a diversidade musical da influência de diferentes regiões do Brasil, focando no repertório instrumental de cada Estado, buscando sonoridades e visualidades elementares de cada lugar, em diálogo profundo com a sensibilidade infantil, sua capacidade de descoberta atenta sensível do mundo. 

A canção de berço pode ser considerada
um dos primeiros objetos culturais ao que o ser humano é exposto.

O medo da morte (perdas, despedidas, separações), presente nos cuidados maternos, paternos e de outros adultos com as crianças pequenas, especialmente com os recém-nascidos penetra as canções de ninar em diferentes culturas, expressando-se em vários elementos. Neste sentido, a série contou com uma extensa pesquisa regional em cada contexto de cada canção, para se aprofundar nas referências estéticas de cada contexto cultural, para a elaboração dos roteiros.

A canção de ninar brasileira é uma expressão que integra vários termos como acalanto, nana-nenê, dorme-nenê, canção ou cantiga de berço, makuru, cantiga de ninar de embalar, de acalentar, todas designações brasileiras para as canções entoadas para conduzir ao sono as crianças pequenas. Todas se referem a um mesmo gênero poético-musical, entretanto há nuances que as diferenciam no campo dos estudos da cultura e da música popular, nos limites e permeabilidades entre as produções folclóricas, populares e eruditas. Estas questões permitem uma extensa abordagem na serie, facilitando uma diversidade de leituras da matéria pesquisada em diversas temporadas.

Ficha Técnica

Direção: Clarice Cardell
Roteiro: Clarice Cardell e Vanessa Fort
Direção de Fotografia: Marcelo Barbosa
Trilha Original: Lupa Marque e Jota Dale
Diretor de Arte, Diretor de Animação e Montagem:  Ricardo Makoto
Pesquisa Cultura Tradicional da Infância: Lucilene Silva

Assistêcia de Produção: Juliana Caribé
Coordenação de Produção: Leonardo Hernandes
Coordenação Geral: Centro da Cultura Popular Brasileira – CEPOP
Co-produção: Makoto Studio
Realização: BebeLume Produções Ltda.

Série GRÃO JETÊ (em finalização)

Uma série de 8 episódios em que a linguagem do vídeo-dança se relaciona com um público muito especial – a primeira infância. Um mergulho na poesia corporal provocada por sonoridades e movimentos.

Utilizando uma trilha sonora totalmente original, partituras corporais são construídas a partir de temáticas que dialogam com as crianças em seus primeiros anos. Temas como a identidade corporal, o mundo das cores, os animais, a maternidade, a comida, as formas geométricas, ou jogos lúdicos sonoros ou de perseguição se materializam através da colaboração com diferentes bailarinos.

Dança balinesa, contemporânea, flamenca ou acrobacias e soul se aproximam do público de adultos e crianças, em diferentes estilos para mobilizar e oportunizar a pais, mães e crianças para viverem conjuntamente uma experiência estética inovadora em que todos possam explorar suas possibilidades e pontencialidades.

A dança é uma manifestação artística profundamente orgânica e universal que nos possibilitou produzir imagens capazes de capturar os bebês por aquilo que eles estão aprendendo a dominar: o corpo.

Ficha Artística

Roteiro e Direção: Clarice Cardell
Direção de Fotografia: Marcelo Barbosa
Assistência de Câmera: Juliana Caribé
Trilha Original: Lupa Marque e Jota Dale
Coordenação Coreográfica: Tiana Oliveira
Consultoria Coreográfica: Hugo Rodas
Assistência de Produção: Lemar Rezende e Herbert Lins

Iluminação: James Festenseifer
Montagem: Eduardo Garces
Produção: Leonardo Hernandes
Intérpretes:  Tiana Oliveira; Fernanda Cabral; Edson Beserra;  Elisa Carneiro; Ulysses X; Cirila Targuetta; Maíra Moraes; Daniel Lacourt; Júlia Henning
Realização: BebeLume Produções Ltda.

Direção e Roteiros

Clarice Cardell é formada em artes cênicas pela Universidade de Brasília e com especialização em cinema no NIC (Nucleo de Investigacion Cinematográfica de Madri) e pós-graduada pela Real Escuela Superior de Arte Dramatico de Madri. Fundadora, diretora e atriz da companhia teatral, La Casa Incierta, que é a companhia com o nome de maior destaque no campo do Teatro para bebês na Espanha e no Brasil, com um repertório 12 espetáculos para crianças.  A atriz atuou em diversas temporadas no Brasil e em países como a França, Bélgica, Itália, Portugal, Holanda, Israel, Finlândia e Rússia. Realiza a curadoria e produção do Festival Primeiro Olhar – arte pela primeira infância, coordena o GT Cultura na Rede Nacional pela Primeira Infância e colaborou na coordenação do I Encontro Cultura e Primeira Infância, realizado em 2015 em parceria com o Ministério da Cultura. Em 2017, recebeu em Washington o prêmio internacional ALAS BID (Banco Interamericano Mundial), concedido como iniciativa inovadora para a primeira infância.

Produção Executiva

Leonardo Hernandes formado em Gestão de Políticas Públicas e Mestre em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional pelo Culturais do Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares da UnB. Além de cursos complementares em Gestão Cultural pela UnB/Minc, Gestão Contemporânea de Espaços Culturais, Produção Executiva e Crítica Teatral. Foi Subsecretário de Fomento da SECULT do DF entre 2011 e 2014 responsável pelo Fundo de Apoio à Cultura – FAC e Diretor de Gestão de Mecanismos de Fomento do MinC entre 2015 e jun./2016, responsável pelo Fundo Nacional de Cultura e Vale-Cultura. Fundador da Rede Nacional de Gestores de Fomento. Foi produtor do Jogo de Cena por 8 anos. Produziu as bandas Casa de Farinha, Moveis Coloniais de Acaju, diversas peças teatrais e o curta-metragem “De perto, quem é normal?”.  Iniciou sua carreira como ator em 1991 no Grupo A Culpa é da Mãe (atual Melhores do Mundo) e atuou em mais de 15 espetáculos de teatro e dança. Tem uma longa carreira no audiovisual como ator de TV e Cinema. Foi Secretário Executivo do Programa Território Criativo, iniciativa voltada para a capacitação e consultorias em economia criativa, realizada pelo Instituto Bem Cultural – IBC.  Foi Coordenador Geral da gestão e programação do Espaço Renato Russo 508 Sul pelo IBC. Além de ser o Produtor Executivo do BebeLume, Léo Hernandes atua no terceiro setor compondo o Instituto Bem Cultural – IBC.

Saiba mais sobre o BebeLume e suas produções!